29/07/2013
Seja o primeiro a comentar

Longevidade é alcançada por meio de disciplina

Diário Web

Tomar um bom café da manhã é uma atitude fundamental a ser adotada por quem pensa na longevidade. Segundo um estudo publicado pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, quem dá prioridade a essa primeira refeição tem menos chances de ter problemas nas coronárias. Outra ferramenta que pode ser usada para contrapor o avanço de doenças é o Pilates. 

Estudo recém publicado pelo Jornal of Bodywork & Movement Therapies mostrou que pessoas com dor lombar podem ser beneficiadas pela prática do Pilates. De acordo com o estudo, ao sentir dores, as pessoas apresentam menor equilíbrio da atividade dos músculos abdominais e do multifido (músculo das costas). "Isso indica que indivíduos com dor lombar apresentam menor estabilidade nas articulações formadas pelas vértebras da coluna lombar", explica o professor Mauro Gonçalves, da Universidade Estadual Paulista, de Rio Claro, que coordenou o estudo. 

Tomar vacinas preventivas também auxiliam na preservação da saúde do brasileiro. É o que reforça o médico sanitarista Celso Luís Barbieri, especializado em geriatria, de Catanduva, que lembra que a vacinação em massa é a melhor arma contra doenças imunopreveníveis. "O ser humano, sem dúvida nenhuma, fica mais protegido e imune a várias doenças infectocontagiosas e, consequentemente, ganha mais tempo de vida", diz. 

O médico lembra que doenças como a varíola, a poliomielite ou a paralisia infantil, que levaram muitas pessoas à morte, só foram erradicadas graças a campanhas educativas e ações coletivas que buscaram reduzir a incidência dessas moléstias no país. Além disso, os índices de pacientes com tuberculose e hepatite B também foram reduzidos nos últimos anos. 

O sucesso na vacinação 

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa de vida do brasileiro aumentou de 62,5 anos, em 1980, para 74,1 anos, em 2011. Um dos motivos para esse crescimento é, segundo o geriatra Celso Luís Barbieri, o fato da população ter aderido mais a vacinação nos últimos anos. Ele observa que a população brasileira por anos se recusou a ser vacinada por considerar a imunização um procedimento perigoso, com risco de morte. 

Mas, vencida a resistência inicial, a população idosa passou a se vacinar, em especial, contra a gripe, e hoje inúmeras outras prevenções têm sido feitas por intermédio da vacinação. "O mito de que as vacinas podem desencadear doenças já está praticamente extinto. É importante reforçar que a vacina é, na verdade, um mecanismo que proporciona ao corpo desenvolver anticorpos que combatem as doenças", afirma. 

Equilíbrio corpo e mente 

Em geral, a prática de atividades físicas é a primeira atitude a ser sacrificada diante das demandas a que as pessoas são submetidas no dia a dia. No entanto, segundo Lancha Jr., professor titular da Universidade de São Paulo e coordenador do Laboratório de Nutrição e Metabolismo Aplicados à Atividade Motora, além de uma alimentação equilibrada, a prática regular de exercícios, o cuidado com a estabilidade da mente e o equilíbrio entre a vida profissional e a pessoal são fatores de preservação da vida. 

"Mantenha o equilíbrio na rotina e não se esqueça da qualidade de vida, busque uma alimentação mais saudável, regre o sono e aproveite melhor os momentos em família, permita-se uma rotina mais prazerosa e produtiva", recomenda. Lancha Jr. reconhece que uma das grandes dificuldades é encontrar disposição para fazer tudo o que é necessário e conseguir aproveitar o que é importante para si mesmo. 

Porém, reforça a necessidade de, apesar das obrigações, a pessoa não se descuidar da vida pessoal. "É uma briga interna constante - de um lado, o cansaço e, do outro, a vontade e a necessidade de ter tempo e vigor para realizar todas as tarefas. Nessa batalha, o mais importante é não deixar de lado a saúde e encontrar aliados para vencê-la", diz.

Que o café da manhã é benéfico à saúde, não é tão novidade. A novidade é que pular esta refeição, algo que cerca de 20% da população faz, pode aumentar em 27% as chances de se desenvolver as doenças coronarianas. A notícia foi publicada pela revista Circulation, da Associação Americana do Coração, que acompanhou ao longo de 16 anos voluntários do sexo masculino, com idades entre 45 e 82 anos. 

De acordo com o estudo, quem tem o hábito de jogar as refeições mais para o final do dia vai sobrecarregando o organismo e, por tabela, aumenta as chances de doenças. Isso porque à noite o processamento dos alimentos pelo organismo fica reduzido e, com isso, ocorre um risco maior de desenvolver obesidade, diabetes, hipertensão e, por conseguinte, as tais doenças cardíacas. 

Daí a orientação do cardiologista Leopoldo Piegas, do Hospital do Coração, de São Paulo, da importância de se educar desde cedo as crianças para que o hábito seja absorvido precocemente. "Nós, médicos, devemos aconselhar nossos pacientes a se alimentarem regularmente e, especificamente, a comerem pela manhã", diz. Além disto, o médico ressalta a necessidade de se recarregar as energias por meio do sono.

"É fundamental dormir para manter funções básicas, como controle cardíaco, respiração, equilíbrio de temperatura, e esse complexo mecanismo consome calorias, por isso é importante se reabastecer na primeira refeição do dia", diz. O estudo mostrou que mesmo nos voluntários que mantinham bons hábitos de vida, como dieta equilibrada, prática de atividade física regular e não eram tabagistas, a associação entre pular o desjejum e a maior ocorrência dos males cardíacos persistiu.

Avalie esta matéria:     0

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Olá Convidado
publicidade
Facebook
Twitter