20/08/2013
Seja o primeiro a comentar

Pedalar não tem idade: paixão pelo ciclismo une diferentes gerações

Globo.com

 

Ricardo Buscema tem 59 anos e acumula quilômetros rodados desde o início da década de 80. Marlon Dias, por sua vez, tem apenas 14 anos e começou a pedalar para valer há um ano e sete meses. A diferença de idade, porém, serva apenas para diferenciar as categorias de cada um. A paixão pela bicicleta e o poder de desafiar a velocidade une os ciclistas de diferentes gerações.

Segundo colocado na categoria Master C do Desafio Tour do Rio, realizado em Conservatória, interior fluminense, no último domingo, Ricardo esbanja vitalidade na estrada e diz que espanta a preguiça treinando por até 400km semanais. Qual é o segredo de tanta disposição? Ele explica:

- A herança genética conta muito, mas o importante para se sentir bem na hora de praticar um esporte como o ciclismo é a dedicação. Evito comer frituras e exagerar nos doces, consumir álcool e tento levar uma vida saudável, sem estresse. Tem gente que quando chega na minha idade adora arrumar desculpa para tudo. Melhor é arrumar uma desculpa para sair do sofá e fazer alguma atividade física que lhe agrade. A receita é bem simples: pegar a bike e pedalar - disse o administrador hospitalar, que lidera o ranking carioca e o brasileiro na categoria de 55 a 59 anos.

Vencedor da categoria juvenil, Marlon era só alegria no pódio da prova. O adolescente de São Francisco de Itabapoana, cidade de pouco mais de 40 mil habitantes do norte do estado do Rio, luta para conciliar os estudos com o esporte. Ele também se destacou nas Olimpíadas Escolares.

- Me divertia com os amigos e gostava de passear de bicicleta na praça perto de casa. Acabei me apaixonado pelo esporte e resolvi competir. Quero seguir carreira no esporte e me tornar, um dia, ciclista profissional. Deixo de sair para treinar cedo no dia seguinte. Eu estudo pela manhã, almoço rápido e saio para treinar. Rodo cerca de mil quilômetros por semana. As cãibras, pneus furados e outros problemas, consigo tirar de letra - afirmou o ciclista, filho de um agricultor e uma comerciante.

Avalie esta matéria:     0

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Olá Convidado
publicidade
Facebook
Twitter