11/09/2013
Seja o primeiro a comentar

Entenda a importância da prática de atividades físicas na terceira idade

Correio de Alagoas

A chegada da aposentadoria representa, para muitas pessoas, também a chegada de uma certa preguiça e de uma diminuição das atividades que exigem muito do corpo. No entanto, deixar de trabalhar não pode ser desculpa para dar cabo aos exercícios, é o que garante o educador físico Eduardo Danilo Schimtz, especializado em envelhecimento.

Segundo Schmitz, as atividades físicas estão diretamente relacionada à qualidade de vida na velhice, principalmente no que diz respeito a prevenção de doenças cardíacas, uma das maiores causas de mortes no mundo. E entre as principais razões para o desenvolvimento desse problema estão a má alimentação, estresse e sedentarismo, tidos como comportamentos típicos da sociedade contemporânea.

Além de atuarem na prevenção de problemas cardíacos, as atividades físicas contribuem para a melhoria da capacidade funcional dos idosos. Schimitz afirma que os exercícios ajudam os idosos a manter a capacidade de lidar com as tarefas do cotidiano como varrer a casa ou descer e subir escadas.

Depois de 30 anos dedicados à enfermagem e aposentada há dez, Araci Marlene Siqueira, 67 anos, trocou a lã e as agulhas por vôlei e musculação. A motivação foi um convite feito pelo filho para uma caminhada.

— Logo que deixei de trabalhar, queria só ficar em casa. Cuidava da minha neta e fazia crochê o dia inteiro. Depois até procurei cursos de artesanato. Até que eu percebi que estava acima do peso e meu filho me convidou para acompanhar ele nas caminhadas diárias — conta Araci.

A aposentada afirma que sua energia foi completamente renovada depois que começou a praticar atividades físicas regularmente.

— Quando eu me aposentei queria só ficar sentada ou deitada, mas agora eu garanto que é difícil me ver parada. Sempre que eu falto uma aula de ginástica, sinto uma falta enorme. Não sei mais ficar sem praticar uma atividade física — afirma.

O que fazer?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aconselha 30 minutos de atividades físicas diariamente. São ideiais pelo menos três tipos exercícios: de força, como muscalação; exercícios cardiorespiratórios, como caminhada, bicicleta e natação; e exercícios de flexibilidade, como alongamento.

Para o educador físico, o ideal é combinar os três tipos e exercícios e levar em conta a preferência pessoal do idoso. Schmitz também recomenda que antes de iniciar qualquer prática física regular, o idoso procure um profissional para fazer uma avaliação específica.

— O exerício ideal para um idoso não é o melhor para outro, é importante levar uma série de questões em conta como alguma dificuldade física ou doença crônica. Por isso, cada caso deve ser avaliado por um profissional — finaliza.

Avalie esta matéria:     0

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Olá Convidado
publicidade
Facebook
Twitter