07/10/2013
Seja o primeiro a comentar

Para chegar bem na terceira idade, mantenha a mente e o corpo ativos

VIAEPTV

 

Cada vez mais pessoas têm chegado à terceira idade com vida social ativa e as saúdes física e mental em dia, graças à manutenção de hábitos preventivos, que incluem alimentação e exercícios.

Segundo o geriatra e nutrólogo Nelson Iucif Júnior, devido à vitalidade que idosos têm atingido nas últimas gerações, hoje muitos estudiosos consideram pacientes geriátricos somente a partir dos 70 anos.

"Para se chegar bem à terceira idade, sem dúvida, o mais importante são os hábitos adotados durante toda a vida, apesar de a genética contar, já que a influência desse fator se reduz a partir dos 50", afirma Iucif Júnior.

Atividade física 

Como é natural a perda de massa muscular com o envelhecimento, os exercícios físicos são importantes na terceira idade. "Como o osso vai ficando mais fraco, a atividade física tem o objetivo de fortalecer o músculo e, consequentemente, dar maior sustentação ao osso, evitando quedas e fraturas ósseas", comenta a educadora física e personal trainer Fabiana Alves Soubihe, da Wellness Sport Club.

"A atividade física ativa neurônios, libera a serotonina [no cérebro, provocando sensação de bem-estar] e beneficia a socialização. Sem falar na prevenção de doenças psicossomáticas, osteoporose, câncer, diabetes e no controle do colesterol ruim", ensina a personal.

Como o risco de lesões é maior nessa faixa etária, o idoso deve procurar se exercitar em academias que tenham assistência de um professor e modalidades de baixo impacto. As de alto impacto, como jump, step e corrida, podem sobrecarregar as articulações que já apresentam o desgaste natural da idade, como tornozelo e joelho.

"Após os 60 anos, alongamento, hidro e a natação são muito procurados, mas o idoso deve fazer musculação porque é na carga que ele precisa levantar que o músculo se fortalece", ressalta Fabiana . 

A aposentada Zuleica Nunes Rego Freitas atribui sua boa disposição, aos 69 anos, à sua rotina saudável, que inclui nadar 1,6 mil metros três vezes por semana, fazer musculação, yoga, alongamento, morfoanálise e caminhada.

"Pela minha idade, ainda tenho muita energia devido a meus hábitos. Mesmo assim, às vezes, tenho vontade de fazer algo, mas o corpo não responde. Aí aceito meus limites", diz. Nos últimos anos, Zuleica também adotou uma dieta ortomolecular para garantir saúde e vitalidade. "Tomo muita água, como frutas, verduras e pão integral. Também como mais peixe e evito alimentos que aumentem o nível de gordura no sangue", detalha.

Uma dieta equilibrada fornece ao organismo a combinação de nutrientes ideais para o funcionamento do cérebro. Salmão, atum, sardinha e soja, por exemplo, ajudam a ativar e estimular a memória por serem ricos em Ômega-3.

Deve-se aumentar a ingestão de verduras, frutas, legumes, grãos, reduzir a carne vermelha e só usar boas gorduras, como as da castanha e azeite, fontes proteicas adequadas. Uma alimentação balanceada reduz as chances de doenças crônico-degenerativas, como Alzheimer", diz o geriatra Iucif Júnior. 

Avalie esta matéria:     0

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Olá Convidado
publicidade
Facebook
Twitter