23/07/2013
Seja o primeiro a comentar

Finalmente Francisco, o Papa dos Aposentados

COBAP

Coincidência ou não, o carismático Papa Francisco já provou que está atento aos problemas sociais que massacram milhões de idosos brasileiros, em sua maioria aposentados que sobrevivem com salários achatados.

O Pontífice praticamente repetiu algumas palavras que escrevemos na Carta Oficial que entreguei pessoalmente na última sexta-feira ao Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, que se comprometeu a envia-la imediatamente ao Vaticano.

Nesta carta, a COBAP relatou as mazelas dos aposentados, pensionistas e idosos brasileiros, que há décadas são excluídos, desrespeitados e humilhados pelos governantes.

A bordo do avião, o Papa Francisco manifestou aos jornalistas que o leva ao Brasil condenou a cultura da rejeição em relação aos idosos na sociedade moderna. Segundo ele, a crise mundial não gerou boas coisas para os jovens.

Ele enfatizou que a sociedade "também necessita da sabedoria dos idosos".

O Santo Padre disse ainda que a viagem tem como objetivo estimular os jovens para que se integrem ao tecido social, com os idosos. Francisco reconheceu que, assim como se deve evitar "isolar os jovens", também é preciso condenar "a cultura da rejeição aos idosos".

"Um povo vai em frente com os dois (jovens e idosos). As pessoas idosas têm a sabedoria, a história, a pátria, a família. Todos necessitam disso", acrescentou.

Independente ou não dele já ter lido a Carta da COBAP, confesso que fiquei emocionado com a sensibilidade deste Papa. Parece que transcreveu as nossas palavras, os nossos anseios por justiça e os nossos sentimentos. Podemos comemorar, pois temos hoje o “Papa dos Aposentados”.

Por outro lado, deu vontade de vomitar ao ouvir a Presidente Dilma dizer que o Governo precisa da ajuda e orientação da Igreja Católica para reduzir a miséria e as desigualdades sociais no Brasil.

Esse “milagre” que Dilma mencionou não cabe ao Papa, mas sim a própria Presidenta da República, pois ela quem controla montanhas de dinheiro e que tem a caneta na mão. Já que Dilma quer reduzir a miséria, deveria começar reajustando dignamente os aposentados, pois somos nós as maiores vítimas desta política econômica sórdida e cruel.

Dilma, como todo respeito, aproveita a vinda do Papa e se confessa. Ainda dá tempo da remissão dos pecados cometidos contra os aposentados.

Avalie esta matéria:     0

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Olá Convidado
publicidade
Facebook
Twitter